A recepção de textos neoplatônicos na civilização islâmica da idade média

  • Edrisi Fernandes
Palabras clave: Platão, Teoria das ideias, Filosofia islâmica, neoplatonismo islâmico, filosofia medieval

Resumen

A recepção de Platão no mundo islâmico, e especialmente na filosofia (falsafa), se deu principalmente através dos ensinamentos das escolas da antiguidade tardia, calcados em escritos de Platão – embora sem acesso à maior parte das obras originais – e em obras de Aristóteles, bem como de comentadores peripatéticos e neoplatonistas. Em 2005 Cristina D’Ancona apontou uma “estreita relação entre o surgimento da falsafa e o modo como a filosofia foi concebida nas escolas neoplatônicas no fim da antiguidade”. Os filósofos do Islã clássico costumeiramente enxergaram Platão sob a influência de intérpretes neoplatônicos como Plotino, Porfírio ou Proclo, embora quase sempre desconhecessem a verdadeira origem das ideias que analisavam e discutiam, e muitas vezes as atribuíssem a Aristóteles. A teoria platônica das Ideias (Formas), conhecida pelos filósofos do Islã principalmente através de interpretações neoplatônicas tardias da obra de Aristóteles, teve uma fortuna bastante especial na civilização islâmica medieval. Um caso paradigmático é aquele de Al-Fārābī, em quem, segundo ‘Abd al-Raḥmān Badawī, todas as correntes posteriores de pensamento do Islã encontram sua fonte. Al-Fārābī oscilou entre a oposição aristotélica às Ideias transcendentais e a ontologia neoplatônica, sugerindo que uma interpretação apropriada poderia eliminar as contradições aparentes. 
Cómo citar
Fernandes, E. (1). A recepção de textos neoplatônicos na civilização islâmica da idade média. Cuadernos De filosofía, (66), 95-115. https://doi.org/10.34096/cf.n66.4359
Sección
Dossier