Como o brasileiro acha que fala? Desarios e propostas para a caracterização do "português brasileiro"

  • Raquel Meister Ko. Freitag
  • Cristine Görski Severo
  • Claudia Andrea Rost-Snichelotto
  • Maria Alice Tavares
Palabras clave: atitudes linguística, percepção, piadas

Resumen

O campo das atitudes linguísticas, ainda latente no Brasil, adentra nos domínios da maneira pela qual as atitudes e os julgamentos linguísticos afetam o processo de constituição da identidade pela língua e pelo discurso. Os fenômenos variáveis não são igualmente sensíveis às mesmas avaliações em todas regiões no Brasil; essa variação nas avaliações produz efeitos sobre a maneira como os sujeitos assumem e reconhecem certos usos linguísticos como marcas de sua identidade regional. Apresentamos propostas de investigação acerca da estratificação linguística do português brasileiro em portugueses regionais, considerando evidências do imaginário popular, como as piadas e a dialetologia perceptual. Com estas propostas, esperamos ampliar o poder explanatório das investigações descritivas das variedades, incorporando as atitudes e os julgamentos linguísticos que afetam o processo de constituição da identidade pela língua e pelo discurso.
Cómo citar
Meister Ko. Freitag, R., Görski Severo, C., Rost-Snichelotto, C. A., & Tavares, M. A. (1). Como o brasileiro acha que fala? Desarios e propostas para a caracterização do "português brasileiro". Signo Y seña, (28), 65-87. https://doi.org/10.34096/sys.n28.3174
Sección
Dossier